Quem se interessa por colorimetria com certeza está familiarizado com o conceito de reflexos. São nuances que enriquecem e diferenciam as colorações cosméticas, permitindo que os cabeleireiros criem as mais diversas cores para seus clientes. Eles dividem-se em três grupos: frios, neutros e quentes.

Neste artigo vamos explicar um pouco mais sobre todos eles e mostrar como os reflexos interagem quando aplicados em um mesmo cabelo. Vamos começar?

Conheça os reflexos

Os reflexos podem ser esquematizados através da Estrela de Oswald. Nela, as cores primárias – azul, vermelho e amarelo – ficam nos vértices do triângulo vertical. As cores complementares – verde, roxo e laranja – são formadas pela mistura de duas cores primárias. Na estrela, elas são representadas entre as primárias, nos vértices do triângulo que está invertido.

A estrela também divide os reflexos entre quentes e frios:

  • Reflexos da parte superior da estrela são frios: roxo, azul e verde.
  • Reflexos da parte inferior da estrela são quentes: vermelho, laranja e amarelo.

Saiba mais:


Como os reflexos frios, quentes e neutros interagem?

A organização dos reflexos em frios e quentes na Estrela de Oswald ilustra uma importante regra da colorimetria: reflexos que aparecem nas pontas opostas desse diagrama se neutralizam quando se encontram, gerando um reflexo neutro.

Quando um cabelo já apresenta uma cor de reflexo e outra é aplicada, é importante que o cabeleireiro esteja ciente que eles irão interagir, podendo dar origem a outra cor. Veja como funciona essa interação de acordo com a temperatura do reflexo:

  • Neutro + neutro= neutro
  • Neutro + quente = quente
  • Quente + quente = quente
  • Quente + frio = neutro
  • Neutro + frio = frio
  • Frio + frio = frio

Perceba que os reflexos frios ou quentes se sobrepõem aos neutros. Já os reflexos frios e quentes se neutralizam entre si. Essa informação tem aplicações muito relevantes na prática.

Uma delas é a matização dos cabelos loiros. É comum que, após a descoloração, os fios fiquem com um tom de loiro muito amarelado. Isso ocorre porque o fundo de clareamento dos cabelos tende a ter um reflexo quente. Para atingir um loiro perfeito e deixar o amarelo para trás, o ideal é utilizar um reflexo de cor fria para matizar. Como o roxo é o tom oposto ao amarelo na estrela, ele será o reflexo ideal.

Outro caso no qual essa regra é útil é quando os fios claros ficam "chumbados", com a cor um pouco acinzentada ou azulada. Para voltar a um tom neutro é necessário fazer a correção utilizando um reflexo quente. O laranja é o mais adequado para essa finalidade, de acordo com a Estrela de Oswald.

Essa regrinha é útil no dia a dia do salão. Sempre que for colorir um cabelo fique atento: identifique o reflexo que está atualmente nos fios do cliente, procure entender exatamente qual o resultado final que ele deseja e, depois, decida qual será o reflexo ideal da nova coloração que será aplicada.

Ciente das regras de colorimetria e conhecendo bem todos os reflexos, um bom colorista é capaz de criar os tons mais bonitos para seus clientes. Para que o resultado seja ainda melhor é fundamental que sejam utilizados produtos de alta qualidade.


Confira também:


As colorações da linha Infinity Color da Bellkey, por exemplo, proporcionam maior poder de cobertura, intensidade e excelente fixação dos pigmentos. Com isso, o cliente tem mais facilidade na manutenção dos reflexos, duração prolongada da cor e os fios ficarão muito mais saudáveis.