Uma das grandes dificuldades de qualquer empreendedor é colocar um preço em seu trabalho. Cabeleireiros que empreendem também costumam passar por isso, não é? Sempre há a apreensão de estar cobrando muito caro e perder clientes, ou cobrando muito barato e acabar tendo uma margem de lucro aquém do esperado.

Para te ajudar a chegar a um preço que seja justo para você e para o seu cliente elaboramos este artigo com várias dicas que irão te ajudar a cobrar melhor! Vamos lá?

1. Conheça seu público e região

O preço de um serviço tem tudo a ver com a região em que o negócio será instalado e o público que frequenta o local. Serviços muito baratos em bairros de luxo podem gerar desconfiança e falta de credibilidade, assim como serviços muito caros em bairros simples podem gerar um mau fluxo de venda. É necessário se adequar às expectativas de preço do local do seu salão.


Saiba mais:


2. Conheça a concorrência e compare os preços do mercado

Uma boa forma de verificar se seu preço está adequado é compará-lo com concorrentes do mercado. Não entenda como concorrência apenas os salões que ficam próximos ao seu fisicamente, mas também outros salões que sejam mais distantes e tenham a mesma proposta de valor, ou seja, que ofereçam vantagens similares para seus os clientes.

3. Estipule seus custos

Para saber quanto cobrar é muito importante que você saiba quanto gasta para que seu salão esteja em funcionamento. Esse valor é composto por custos fixos + custos variáveis.

Os custos fixos são aqueles que precisam ser pagos todo mês, independente do faturamento, como aluguel, água, luz, internet, telefone e salários. Já os custos variáveis mudam de acordo com os serviços que são feitos no salão, como comissões, taxas de cartão e consumo de produtos.

Tenha todos esses custos na ponta do lápis!

4. Estime seu movimento mensal

Sabendo os custos, você precisa dividi-los pelo número médio de serviços que você realiza no salão. Assim você terá o valor aproximado que é gasto para realizar cada procedimento.

Suponha que seus custos fixos somem cerca de R$ 1.000 e sejam realizados, em média, 200 serviços no salão. O custo fixo de cada serviço será de R$ 5 (1000/200). Agora some a esse valor o custo variável do serviço. Suponha, por exemplo, que um corte gere também R$ 15 de custos variáveis (shampoo, condicionador, comissão). No total você terá R$ 20 de custo para a realização desse trabalho.


Confira também:


5. Defina uma margem de lucro

Agora, para terminar de compor seu preço é necessário acrescentar uma margem de lucro. Ela não é igual para todos os serviços de um salão porque alguns serão mais lucrativos que outros. Some os custos aos lucros esperados em cada serviço e avalie se o valor obtido está coerente com a sua localização,  seu público e seus concorrentes. Caso não esteja, faça os ajustes necessários no lucro. Agora você tem seu preço final!

6. Os produtos do salão interferem no preço dos serviços?

Sim! Os produtos são parte importante da composição dos custos variáveis do seu salão de beleza. Em serviços como tratamentos, colorações e mechas são eles que terão maior influência no preço final. Entretanto, pouco adianta trabalhar com produtos muito baratos para ampliar sua margem de lucro se o desempenho desses cosméticos não proporcionar um resultado bonito e saudável para os cabelos do cliente. Produtos muito caros, por sua vez, podem comprometer sua lucratividade.

Escolha marcas que tenham produtos com excelente custo benefício para cabeleireiros e que aliam preços competitivos a produtos de alta qualidade, possibilitando criar cabelos incríveis para os seus clientes. Isso vai ajudar a gerar um bom lucro para você!